Temer erra no Twitter balanço de liberação de recursos do FGTS

Temer erra no Twitter balanço de liberação de recursos do FGTS

O presidente Michel Temer usou o Twitter nesta segunda-feira (3/7), para exaltar a antecipação do último lote de recursos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), mas errou o valor total já liberado até agora. Em sua mensagem, o presidente diz que 22 milhões de trabalhadores já pegaram o seu dinheiro e que o montante total seria de R$ 37 milhões. O valor real, entretanto, de acordo com a Caixa, é de R$ 38,2 bilhões até 28 de junho.

Segundo o banco, o valor equivale a 95,38% do total inicialmente previsto (R$ 40 bilhões) e aproximadamente 81% dos trabalhadores (27,7 milhões), nascidos entre janeiro e novembro, beneficiados pela Medida Provisória 763.

Preocupado em articular a base aliada para conseguir derrubar a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e também dedicado a montar sua defesa na esfera jurídica, Temer usou o Twitter para tentar passar um ar de normalidade e otimismo. “A semana começa com uma boa notícia. A @Caixa Econômica Federal antecipou o pagamento do último lote das contas inativas do #FGTS”, escreveu Temer.

Nesta segunda-feira (3), a Caixa anunciou a antecipação da última fase dos saques, que estava prevista para 14 de julho. Poderão retirar os valores trabalhadores nascidos no mês de dezembro que tenham saldo em suas contas.

Compartilhe
Previous Presidente da CCJ diz que é constrangedor ter um presidente denunciado
Next Fux é o novo relator das investigações sobre Kassab

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Câmara adia debate da reforma política em plenário para próxima semana

Prevista para ser votada no plenário na Câmara dos Deputados na quarta-feira, 16, a reforma política será adiada por uma semana. Depois de uma frente de partidos, principalmente da oposição,

Política

Após obstrução da oposição, Câmara adia votação do PLP 343 pela segunda vez esta semana

Após prolongada obstrução da oposição, pela segunda vez esta semana, a Câmara dos Deputados, adia a votação do Projeto de Lei Complementar  343/17, do governo Michel Temer, que cria o

Cotidiano

Cármen Lúcia quer tempo para decidir sobre impedimento de Gilmar

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, tem se posicionado, internamente, a favor de que os ânimos se acalmem, após a Procuradoria-Geral da República (PGR) ter entrado