Primeira turma do STF determina prisão domiciliar e uso de tornozeleira para Andrea Neves

Primeira turma do STF determina prisão domiciliar e uso de tornozeleira para Andrea Neves

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira que a prisão da jornalista Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB), seja transfomada de preventiva em domiciliar. Foi determinado ainda que ela use tornozeleira eletrônica. A decisão, nos mesmos termos, será aplicada ao primo do senador, Frederico Pacheco.

O placar foi de três votos a dois. Os ministros mantiveram a mesma decisão aplicada a outro preso na operação Patmos, o ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB), Mendherson Souza Lima.

Os três são investigados por supostamente terem participado de corrupção, organização criminosa e por tentarem atrapalhar as investigações.

Andrea Neves é acusada pela Procuradoria Geral da República (PGR) de corrupção passiva e foi denunciada por ter pedido R$ 2 milhões em nome de Aécio Neves ao empresário Joesley Batista, dono da JBS.

De acordo com o advogado Marcelo Leonardo, que defende Andrea, a previsão é que ela seja transferida para a prisão domiciliar nesta quarta-feira. Segundo ele, é necessário que o STF notifique um juiz federal em Belo Horizonte, para que ele então comunique a decisão ao Presídio Estevão Pinto, onde Andrea está presa.

Compartilhe
Previous 'Torcer pela prisão de Aécio é equívoco', diz líder do PT na Câmara
Next Léo Pinheiro pede redução de pena em troca de confissão sobre triplex

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política 0 comentários

‘Planaltodotemer2016’ era senha de perfis do governo e que foi divulgada sem querer

Após o presidente Michel Temer (PMDB) confundir real com cruzeiros, durante discurso nessa segunda-feira no Rio Grande do Sul, desta vez foi o twitter do Portal Brasil – perfil do

Política

Cortes em políticas sociais agravam situação de quem convive com a seca, avalia Galo

O vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelino Galo (PT), avaliou, durante reunião do colegiado nesta quarta-feira (8), que os

Notícias

Democracia Racial é mito, diz Bacelar

“A democracia racial é o maior mito do imaginário social brasileiro. É um mito que deve ser perseguido para se tornar realidade”, disparou o deputado federal Bacelar (Podemos), nas suas