Jogador abandona família porque mulher não tolera gente humilde

Jogador abandona família porque mulher não tolera gente humilde

A família do jogador do São Paulo Wellington Nem, 25 anos, tem vivido um drama. Isso porque o atleta se afastou dos pais e dos avós por causa da mulher, Bárbara Kretzer. Segundo informações do colunista Leo Dias, do jornal O Dia, o fato aconteceu porque a namorada não tolera os parentes de origem humilde.

Ainda de acordo com o colunista, os pais moram isolados em uma casa da Zona Oeste do Rio de Janeiro. A avó dele precisou ser hospitalizada e foi internada em uma Unidade de Pronto Atendimento porque não tinha dinheiro.

Por outro lado, a sogra dele mora em um apartamento luxuoso na região Sul e que foi presente do genro. Tanto Wellington quanto Bárbara também posta fotos com a cara da riqueza nas redes sociais, mas sempre sem nenhuma menção aos familiares deles. Até a cachorra do casal tem fotos ostentação na web.

O jogador, no entanto, nega as acusações. “Tenho ótima relação com meus familiares. Meus pais, graças a Deus, moram muito bem devido ao fruto do meu trabalho e ao apoio que sempre recebi. Sempre pude ajudá-los e sou muito orgulhoso disso”, explicou.

Compartilhe
Previous Desembolsos do BNDES caem 13% nos cinco primeiros meses do ano
Next Juiz nega pedido de Michel Temer para processar Joesley Batista

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Ministro do STF nega habeas corpus de Joesley Batista

Um pedido de liberdade de Joesley Batista, que está preso preventivamente por decisão do ministro Edson Fachin, foi rejeitado pelo ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta segunda-feira

Notícias

Senado aprova projeto que autoriza demissão de servidor incompetente

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (4/10)  o PLS116/17, que trata da demissão de servidor público estável por insuficiência de desempenho. Relatado pelo senador Lasier

Notícias

Molon apresenta mandado de segurança no STF para que Janot vá à CCJ

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou nesta sexta-feira (7/7) no Supremo Tribunal Federal (STF) mandado de segurança com pedido de liminar para que haja manifestação do procurador-geral da República (PGR),