Músico do Cidade Negra é condenado por agredir a mulher

Músico do Cidade Negra é condenado por agredir a mulher

Bino Farias, baixista da banda Cidade Negra, foi condenado a dois anos de serviços comunitários por agredir a mulher, com quem foi casado por 17 anos. Segundo denunciou, durante anos ela sofreu agressões.

“Foram 17 anos de agressões físicas, psicológicas e patrimoniais. Eu espero que o meu depoimento possa auxiliar principalmente na prevenção de casos como o meu. O meu desejo é que outras mulheres e suas famílias não carreguem as mesmas marcas de violência”, disse a técnica de áudio Marcele Simeão, segundo o colunista Leo Dias, de O Dia.

O músico chegou a ameaçar Marcele de morte em 2014, desencadeando uma ocorrência policial, que levou o casal a se separar definitivamente. De acordo com ela, as agressões foram de cunho físico, psicológico e patrimonial.

O baixista foi enquadrado na Lei Maria da Penha e condenado pelo juiz André Luiz Cidra, do Juizado de Violência Doméstica de Niterói, no Rio de Janeiro. O músico não se manifestou sobre a condenação.

Compartilhe
Previous TSE lança campanha nas redes sociais para acabar com mitos eleitorais
Next Aécio Neves teme prisão e afirma que vive situação “kafkiana”

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Municípios

Milagres: Polícia recupera carga de mercadorias roubadas avaliada em quase R$ 500 mil

Uma ação conjunta entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos em Rodovias (Decarga) recuperou, no município baiano de Milagres, uma carga roubada

Política

Em Feira, ao lado do governador Rui Costa, Coronel volta a criticar serviço que Coelba presta aos baianos

Acompanhando o governador Rui Costa na inauguração hoje (05.07) da nova emergência do Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA,

Notícias

Rui autoriza R$ 2 milhões em obras de saúde para Madre de Deus

O governador Rui Costa autorizou a implantação de um Centro de Atenção Psicossocial (Caps), com investimento de R$ 1,8 milhão, em Madre de Deus, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).