Doria troca Parada LGBT por viagem a Porto Rico

Doria troca Parada LGBT por viagem a Porto Rico

Tradicional vitrine para políticos de São Paulo, a Parada do Orgulho Gay terá uma ausência importante neste ano. O prefeito tucano João Doria, em viagem com a família para Porto Rico, mandou o seu vice, Bruno Covas, representá-lo na abertura da 21ª edição. Doria, na verdade, anda se esquivando de mostrar a cara em eventos que dividem opiniões – e eleitores. Ele também não compareceu, por exemplo, à Marcha para Jesus, festa religiosa que concentrou milhares de fiéis no Campo de Marte na quinta-feira passada (15), e tida por parte do público como um evento de oposição à parada LGBT. Ambos, alias, se tratam dos dois eventos que mais concentram gente nas ruas de São Paulo – chegam a somar 6 milhões de pessoas, o que costuma ser chamariz para políticos se exporem ao público.

Pelas redes sociais, Doria já sentiu um pouco o preço que se paga ao se associar às causas controversas. Ele havia divulgado um vídeo em que dizia ter se reunido com os organizadores do evento religioso e foi bastante criticado por seguidores. Em seguida, postou outra gravação, dizendo que apoiava a parada gay. Novamente, recebeu uma avalanche de comentários negativos dos eleitores que são contra a manifestação na Avenida Paulista.

Todos os antecessores recentes de Doria (Fernando Haddad, Gilberto Kassab, José Serra e Marta Suplicy) compareceram à parada e defenderam, em discursos de abertura, causas ligadas ao universo LGBT. No ano passado, o então prefeito, Fernando Haddad (PT), assinou o decreto que incluiu o evento no calendário oficial da cidade. Com isso, a manifestação passou a ser realizada oficialmente todos os anos, entre maio e junho. Antes, não havia sequer obrigatoriedade de ocorrer.

Segundo a prefeitura, Doria não compareceu tanto à Marcha para Jesus quanto à Parada do Orgulho Gay por causa da comemoração da festa de aniversário da filha de 15 anos, que mora em Porto Rico. Segundo a sua assessoria, esse compromisso familiar estava marcado muito antes de Doria sonhar em ser prefeito da cidade.

Nas redes sociais, ele postou um vídeo na quinta-feira (16), diretamente de Porto Rico, ao lado da mulher e da filha – todos vestidos de branco –, em que justifica a ausência: “Eu gosto muito de trabalhar, da cidade de São Paulo e de ser prefeito. Mas gosto muito da minha família também. Prometi à minha filha que estaria com ela em seu aniversário”. Amanhã cedo, porém, quando a Avenida Paulista já estiver toda desocupada e limpa, Doria estará de volta ao seu gabinete.

Compartilhe
Previous Tribunal do Júri: chance de condenação é maior quando vítima é mulher
Next Temer grava vídeo atacando Joesley e fala em punição a criminosos

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Eduardo Cunha informa à PGR que decidiu fazer delação

A defesa de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) informou à Procuradoria-Geral da República (PGR) que o deputado cassado fará delação. A informação foi divulgada pela coluna Radar Online, da Veja, neste sábado

Política

Relatório da PF: Sérgio Machado “não merece” benefícios da delação

A Polícia Federal concluiu que o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado “não merece” os benefícios da delação premiada. Em relatório de 59 páginas enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a

Política

Governo quer que emendas banquem novo fundo eleitoral de R$ 3,6 bilhões

Líderes da base aliada do governo no Congresso pressionam para que o fundo público de R$ 3,6 bilhões para bancar campanhas eleitorais seja abastecido com recursos já existentes no Orçamento,