Corruptos podem ser excomungados da igreja católica, diz Vaticano

Corruptos podem ser excomungados da igreja católica, diz Vaticano

Em anúncio feito neste sábado (17/6), o Vaticano informou que estuda a possibilidade de excomunhão de católicos que integram máfias e organizações criminosas. A medida é discutida por um grupo criado para o Debate Internacional sobre a Corrupção, realizado na quinta-feira (15/6).

Cerca de 50 integrantes de grupos antimáfia e anticorrupção, bispos e outros integrantes da igreja, além de líderes de movimentos, embaixadores e jornalistas participaram do encontro. Segundo a nota divulgada pelo Vaticano, o Cardeal Peter Turkson explicou que o objetivo da reunião é evitar que as pessoas “pisem, neguem e perturbem a dignidade das outras”.

O documento diz ainda que é preciso “aumentar a conscientização e identificar passos concretos que podem ajudar com as políticas e leis que impedem qualquer tipo de corrupção, porque a corrupção é como um verme que se infiltra nos processos de desenvolvimento para os países pobres ou em países ricos, que estraga a relação entre as instituições e entre as pessoas”.

Com base nesse posicionamento, o grupo está produzindo um texto que vai orientar os trabalhos e as iniciativas futuras da igreja. A tendência é que sejam favoráveis à excomunhão dos envolvidos nos crimes de corrupção e máfia, ou seja, essas pessoas seriam expulsas da religião.

Compartilhe
Previous PF apreende recibos de off-shore com coronel amigo de Temer
Next Bahia é oficializada como a próxima sede do Virtual Educa

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Governo exonera 10 ministros para reforçar placar a favor de Temer na Câmara

O Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 2, traz a exoneração de dez ministros do Poder Executivo. Todos com mandato de deputado federal, eles se licenciaram dos cargos para

Notícias

Maia diz que governo deve recompor base para que reformas avancem

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse hoje (3), em São Paulo, que, após a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer, o governo deve reorganizar a

Política

Decisão da OAB pedindo impeachment de Temer surpreendeu Planalto

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse neste domingo (21/5), que a decisão da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de protocolar na Câmara pedido de impeachment do presidente