Joesley Batista: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do país”

Joesley Batista: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do país”

Joesley Batista, dono do grupo JBS, fez várias acusações contra Michel Temer durante uma entrevista para a revista Época. Na conversa, o empresário diz que o presidente da República lidera “a maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil” e usa a máquina do governo para retaliá-lo. Além de Temer, Joesley ainda fala sobre o PT, sobre como Lula “institucionalizou” a corrupção no país e de que forma o PSDB, partido de Aécio Neves, entrou em leilões para comprar partidos nas eleições de 2014.

Quando questionado sobre a relação que tinha com Temer, o empresário foi direto. “Nunca foi uma relação pessoal, de amizade. Sempre foi uma relação institucional, de um empresário que precisava resolver problemas e via nele a condição de resolvê-los. Acho que ele me via como um empresário que poderia financiar as campanhas dele – e fazer esquemas que renderiam propina. Toda vida tive total acesso a ele. [Temer] Por vezes me ligava para conversar, me chamava, eu ia lá”, afirmou.

“Esse negócio de dinheiro para campanha aconteceu logo no iniciozinho [da amizade]. O Temer não tem muita cerimônia para tratar desse assunto. Não é um cara cerimonioso com dinheiro”, disse Joesley ao ser perguntado sobre o pedido de propina feito por Temer em 2010. Além disso, o dono da JBS afirma que o presidente quase sempre pedia algo a mais. “Pediu para nós fazermos um mensalinho. Fizemos. Ele volta e meia fazia pedidos assim. Uma vez ele me chamou para apresentar o [José] Yunes. Disse que o Yunes era amigo dele e para ver se dava para ajudá-lo”, contou.

Sobre a viagem feita por Temer no jatinho da JBS, Joesley disse que não se lembra direito do que ocorreu, mas que estava dentro de um contexto do tipo “Eu preciso viajar, você tem um avião, me empresta aí”. “Acha que o cargo já o habilita. Sempre pedindo dinheiro. Pediu para o [Gabriel] Chalita em 2012, pediu para o grupo dele em 2014”, disse.

Temer e Cunha
Alguns detalhes da relação entre Michel Temer e Eduardo Cunha também foram revelados por Joesley. “A pessoa à qual o Eduardo se referia como seu superior hierárquico sempre foi o Temer. Sempre falando em nome do Temer. Tudo que o Eduardo conseguia resolver sozinho, ele resolvia. Quando ficava difícil, levava para o Temer. Essa era a hierarquia. Funcionava assim: primeiro vinha o Lúcio [Funaro]. O que ele não conseguia resolver ele pedia para o Eduardo. Se o Eduardo não conseguia resolver, envolvia o Michel”, contou.

“Em grande parte do período que convivemos. meu acerto era direto com o Lúcio. Eu não sei como era o acerto do Lúcio com o Eduardo tampouco do de Eduardo com o Michel. Depois, comecei a tratar uns negócios direto com o Eduardo. Em 2015, 2016, quando ele assumiu a presidência da Câmara”, afirmou o dono da JBS sobre a relação entre eles.

De acordo com Joesley, Temer era o chefe da “maior e mais perigosa organização criminosa desse país”. “Temer, Eduardo, Geddel [Lima], Henrique [Meireles], [Eliseu] Padilha e Moreira [Franco]. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muito perigosa. Não pode brigar com eles. Nunca tive coragem de brigar com eles. Por outro lado, se você baixar a guarda, eles não têm limites”, afirmou.

Compartilhe
Previous Rodoviária oferece 1,6 mil horários extras na semana do São João
Next Paulo Afonso: Criança de 2 anos morre após ser estuprada

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

ACM Neto e ministro assinam nova etapa do BRT nesta segunda

Uma das principais intervenções na área de mobilidade na história de Salvador, a implantação dos corredores exclusivos do Bus Rapid Transit (BRT) avança em sua segunda etapa com assinatura do

Política 0 comentários

Sandro Régis despede-se da liderança da oposição e ganha reconhecimento pelo trabalho

Em pronunciamento na sessão plenária desta quarta-feira, 14, da Assembleia Legislativa, o deputado Sandro Régis (DEM) informou que deixará a liderança da Bancada de Oposição, cargo que ocupou nos últimos

Política

Nova lista de Janot tem cinco ministros e cabeças do Legislativo

Na nova lista de alvos da Operação Lava Jato com direito a foro privilegiado, enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta terça-feira, estão presentes