Trump questiona por que Hillary não é investigada

Trump questiona por que Hillary não é investigada

O presidente Donald Trump questionou no Twitter por que os negócios da família de Hillary Clinton e dos democratas com a Rússia não são investigados, mas os “não negócios” dele sim. Ele escreveu que Hillary destruiu telefones com martelo, apagou emails e o marido dela se encontrou com o procurador-geral. “E eles falam sobre obstrução?”, questionou Trump.

Sobre o tema, nesta quinta-feira, o jornal The Washington Post noticiou que o vice-presidente Mike Pence contratou assessores jurídicos externos para ajudar tanto com as consultas do comitê do Congresso quanto com a investigação de conselheiros especiais sobre uma possível colusão entre a campanha do presidente Trump e a Rússia.

Segundo a reportagem do jornal, o escritório do vice-presidente disse na quinta-feira que Pence manteve Richard Cullen, advogado e presidente da McGuire Woods, com sede em Richmond, que anteriormente atuou como advogado dos Estados Unidos no distrito da Virgínia.

Compartilhe
Previous Homem que roubou banco para fugir da esposa vai para prisão domiciliar
Next Wesley Batista deixa presidência do conselho da Pilgrim’s Pride

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Gilmar Mendes recebeu flores de Barata Filho e Procuradoria pede nova suspeição

A Procuradoria da República no Rio enviou nesta terça-feira, 29, o terceiro pedido de suspeição do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes ao procurador-geral, Rodrigo Janot. O objetivo

Notícias

Lideranças do PMDB baiano querem traçar novos caminhos com Pedro Tavares no comando

Lideranças do PMDB da Bahia se reuniram hoje (18/09) para discutir novas estratégias para o Partido. Foi unânime a reafirmação do apoio e confiança no trabalho do deputado estadual Pedro

Notícias

Maia: não gosto do Supremo decidindo pelo Parlamento

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se disse contrário a que o Supremo Tribunal Federal (STF) decida sobre o fim das coligações proporcionais. “Não gosto do Supremo decidindo pelo