Projeto estimula empreendedorismo de jovens negros em Salvador

Projeto estimula empreendedorismo de jovens negros em Salvador

Formar e promover o empreendedorismo entre jovens negros de Salvador com idade entre 14 e 30 anos é o principal objetivo do Afrotonizar. O projeto, financiado pelo Fundo de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), vai oferecer oficinas gratuitas de economia criativa, moda, cosméticos, gastronomia e audiovisual entre os dias 3 e 29 de Julho para as comunidades de Plataforma, Uruguai, Dois de Julho e Curuzu, na Liberdade. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através deste link.

De acordo com a coordenadora do projeto, Naymare Azevedo, o objetivo é estimular o surgimento de espaços de representatividade para os jovens negros na capital baiana. “Vamos oferecer oficinas em diversos setores do empreendedorismo em regiões muito populosas e com uma grande parcela de população negra. A intenção é criar oportunidades para em setores da economia criativa e desenvolver neles a noção de como elaborar um projeto e desenvolver ideias que podem gerar lucro e algum tipo de valor”.

A estilista Loo Nascimento, que vai ministrar a oficina de estamparia, acredita que o projeto abre portas e cria novas possibilidades de renda para os jovens. “Nosso conceito não será simplesmente aprender a estampar o tecido, mas produzir uma identidade afro-brasileira. Vou apresentar tecidos africanos e brasileiros, propondo a produção de uma estampa para que os alunos possam produzir suas estampas dentro dessas referências. Queremos que eles enxerguem um novo meio de produzir com as próprias mãos algo muito maior do que eles esperavam antes”, afirma.

Para Mona Soares, esteticista responsável pela oficina de cosméticos, o projeto vai mostrar que é possível abrir um negócio com produtos de fácil acesso.“Os ingredientes utilizados nas oficinas são facilmente encontrados, muitas vezes vendidos nos próprios bairros onde os alunos vivem. Eu acho que eles vão poder amadurecer esse conhecimento rapidamente seja para vender esses produtos ou trabalhar em clinicas de estéticas e salões de beleza.”

O Afrotonizar ficará durante uma semana em cada bairro, de 3 a 8 de julho no Curuzu, de 10 a 15 de julho, no Espaço Cultural Alagados, de 17 a 22 de Julho, no Centro Cultural Plataforma e de 24 a 29 de Julho, no Centro Cultural ‘Que Ladeira é Essa?’, na Ladeira da Preguiça, no Dois de Julho. A iniciativa conta ainda com apoio da Universidade Federal da Bahia (Ufba), do site Lista Negra e organizações dos territórios onde as oficinas serão realizadas, como o bloco afro Ilê Ayiê, o Centro Cultural ‘Que Ladeira é Essa?’ a Rede de Protagonistas de Itapagipe (Reprotai) e o Movimento de Cultura Popular do Subúrbio (MCPS).

Compartilhe
Previous Petrobras é condenada a trocar advogados terceirizados por concursados
Next Copom baixa Selic em 1 ponto e indica redução de ritmo de corte

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Cotidiano

“Em 2018, com certeza teremos mudanças do rumo político no Estado da Bahia”, prevê Barrozo;assista

O deputado Pablo Barrozo (DEM) participou nesta quinta-feira (11) da Lavagem do Bonfim, em Salvador e destacou a importância da cultura baiana que se fortalece a cada ano. Candidato à

Notícias

Tribunal condena blogueiro por publicar fake news sobre Moro

Os desembargadores da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região condenaram o blogueiro Miguel Baia Bargas, editor do blog Limpinho & Cheiroso, por calúnia e difamação contra o

Política

Após reunião com Temer, base está otimista com placar de votação de denúncia

A dois dias da votação da segunda denúncia na Câmara, o presidente Michel Temer reuniu líderes dos partidos da base aliada para projetar o placar da votação, prevista para esta