Ministro Fachin autoriza interrogatório de Temer à PF

Ministro Fachin autoriza interrogatório de Temer à PF

Relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin deu sinal verde, nesta terça-feira (30/5), para o depoimento do presidente Michel Temer (PMDB) à Polícia Federal, com base nas delações dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista. O interrogatório foi pedido pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O depoimento poderá ocorrer por escrito. O chefe do Executivo nacional tem permissão para respondê-lo até 24 horas após a entrega das perguntas pela PF, de acordo com informações do G1.

Também nesta terça, Fachin separou a investigação de Temer e do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) do inquérito do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG).

Temer, Aécio e Rocha Loures (PMDB-PR) seriam investigados em conjunto, no mesmo inquérito, com base nas delações do grupo JBS.

O presidente é acusado de três crimes: corrupção passiva, obstrução à investigação de organização criminosa e participação em organização criminosa. A Procuradoria-Geral da República (PGR) faz a apuração com base na lei que define organização criminosa e regulamenta as delações premiadas.

Compartilhe
Previous Incrível! Bruno, que faz dupla com Marrone, fica bêbado em show e revolta fãs; assista
Next Ivete Sangalo emociona seguidores após postar imagem de filho

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Para Bacelar, livro didático sem base curricular aprovada é desperdício de dinheiro público

O deputado federal Bacelar (Podemos-BA) cobrou do Ministério da Educação esclarecimentos sobre a minuta de edital, publicada esta semana pelo governo, que permite a compra de livros didáticos de uma

Municípios

Camaçari: Câmara aprova proposta de criação de Sistema de Defesa do Consumidor

Durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (15/08), os vereadores de Camaçari aprovaram a proposta de criação dos órgãos que resguardem o direito do consumidor, instituindo o Sistema Municipal de Defesa

Notícias

Delator diz que Dilma usou dinheiro da presidência para pagar campanha

A presidente afastada Dilma Rousseff pode ter usado dinheiro da Presidência da República para pagar contas da sua campanha presidencial de 2010. É o que relata matéria divulgada pelo site