MPF vai recorrer da absolvição de esposa de Eduardo Cunha

MPF vai recorrer da absolvição de esposa de Eduardo Cunha

A força-tarefa da Operação Lava Jato vai recorrer da decisão do juiz federal Sergio Moro, que absolveu a jornalista Cláudia Cunha no processo em que ela era ré junto com o marido, o ex-deputado Eduardo Cunha. A informação foi dada hoje (26) pelo procurador do Ministério Público Federal (MPF) Carlos Fernando dos Santos Lima, durante entrevista coletiva para detalhar os pormenores da Operação Porto Seco, deflagrada na manhã desta sexta-feira.

“Nós vamos recorrer, nós discordamos [da decisão]. Cremos que isso decorre muito mais do coração generoso do juiz Sergio Moro na interpretação de um fato envolvendo a esposa de uma pessoa que, sabidamente, é ligada à corrupção”, disse o procurador. “Esperamos que no tribunal haja a reversão dessa absolvição.”

Segundo Lima, a profissão e o nível cultural de Cláudia Cunha davam a ela condições de saber que os ganhos de Eduardo Cunha eram incompatíveis com o salário de deputado federal que ele recebia. “Ela deveria saber, tinha indicativos suficientes para saber, tinha conhecimento cultural suficiente para saber a origem desses recursos. Portanto, ao gastá-los, ela cometeu o crime de lavagem [de dinheiro]”, argumentou o procurador.

A força-tarefa também destacou que a Operação Porto Seco, deflagrada hoje para investigar a compra de um campo seco de petróleo em Benin, na África, está ligada ao casal. “Parte dos valores, US$ 10 milhões, correspondente a mais ou menos um terço do valor da compra, foi repassada para operadores, chegando indiretamente até as mãos de Cláudia Cruz”, explicou Lima. De acordo com o procurador, parte destes valores abasteceu a conta usada pela jornalista para comprar artigos de luxo.

 

Compartilhe
Previous PF apreende documento com anotação “cx 2” no apartamento de Aécio
Next Para Gilmar Mendes, plenário do STF deveria dar última palavra sobre delações

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Rejeitado por 2 vezes, Congresso volta articula regime semipresidencialista

A dez meses das eleições de 2018, uma proposta de semipresidencialismo que circula na Câmara e no Senado provoca polêmica e tem tudo para se transformar em uma queda de

Política

Temer se reúne nesta terça-feira com a base para discutir Previdência

Obstinado com a aprovação da reforma da Previdência, o presidente Michel Temer fará nesta terça-feira (11/4) de manhã uma reunião com líderes dos partidos da base aliada, integrantes da comissão

Política

“Jaques Wagner e único plano B do PT”, diz presidente do Senado

Possível aliado do PT no Ceará, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), disse nesta quinta-feira, 8, que o único plano B dos petistas, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula