Temer concede parcelamento de débitos previdenciários das prefeituras

Temer concede parcelamento de débitos previdenciários das prefeituras

O presidente Michel Temer assinou nesta terça-feira, em encontro com prefeitos de todo o país, a medida provisória que prevê o parcelamento de débitos relativos a contribuições previdenciários dos estados, Distrito Federal e municípios. Em seu discurso, Temer voltou a defender que é necessário mudar a “cultura centralizadora” que existe desde a época do descobrimento. Segundo ele, é com o objetivo de mudar essa centralização que seu governo atua em parceiria com o Poder Legislativo.

“Temos todos uma vocação centralizadora extraordinária e achamos que tudo tem de ser feito pela União, a quem todos recursos são conduzidos”, disse ele. “E as reformas foram feitas para restaurar uma verdadeira federação e para fortalecer os municípios”, acrescentou.

A declaração foi feita durante a cerimônia de abertura da 20ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, em Brasília. O evento vai até quinta-feira (18). Ao longo destes três dias, haverá palestras e debates sobre temas de interesse das administrações municipais com a participação de autoridades dos Três Poderes e de prefeitos de todo país.

A Marcha é promovida pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e deve reunir mais de 5 mil prefeitos. Como ocorre todos os anos, os administradores municipais apresentam demandas aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

O parcelamento das dívidas previdenciárias é um dos tópicos prioritários no Congresso Nacional, mas que poderá ser resolvido em conjunto com o governo federal. A CNM defende a revisão dos débitos previdenciários, já que, de acordo com ela, há cobranças indevidas a despeito de decisão recente do Supremo Tribunal Federal.

Segundo o presidente da confederação, Paulo Ziulkoski, a questão está prestes a ser solucionada. “O endividamento previdenciário é um dos pontos que vão ser abordados [durante a marcha], seguramente por meio de uma medida provisória [editada pelo governo]. Estamos construindo a forma e o conteúdo em que ela vai ser editada”, disse.

Entre os temas a serem discutidos durante os painéis e rodas de debates também estão as reformas previdenciária, trabalhista e tributária, bem como as pautas consideradas prioritárias, em tramitação na Câmara e no Senado.

Os prefeitos também devem pedir ajuda ao Poder Executivo para o pagamento do Piso Nacional do Magistério. Sancionada em 2008, a lei que estipula um salário mínimo para os professores em início de carreira prevê que o governo federal coopere tecnicamente com os municípios. De acordo com a CNM, é preciso haver um complemento para garantir o pagamento do piso.

Compartilhe
Previous Ex-aluno é exemplo para estudantes de escola municipal na Liberdade
Next Intenção de Consumo das Famílias aumenta 11,1% na comparação anual

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

#MoroPersegueLula é o 2º assunto mais comentado do mundo no Twitter

As mensagens de apoio e de defesa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganharam destaque nas redes sociais na tarde desta quarta-feira. Enquanto o petista depõe ao juiz Sergio

Cotidiano

STF vai julgar lei que reserva vagas para negros em concursos

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar nesta quinta-feira (11/5) a constitucionalidade da Lei nº 12.990/2014, que reserva 20% das vagas em concursos públicos para negros nos órgãos da administração

Política

Deputados comentam decisão do STF sobre acabar direito de greve dos servidores policiais; assista

Em conversa com o Classe Política nesta quarta-feira(05), o Presidente da Comissão de Direitos Humanos na Assembleia Legislativa e Segurança Pública, Marcelino galo(PT), e o vice-presidente, Soldado Prisco (PSDB), comentaram a