Marcos Valério, condenado no mensalão, pega mais 18 anos de prisão

Marcos Valério, condenado no mensalão, pega mais 18 anos de prisão

A Justiça Federal no Rio condenou o empresário Marcos Valério, emblemático personagem do mensalão, a 18 anos e nove meses de prisão por crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. A sentença é do juiz Vitor Barbosa Valpuesta, da 3.ª Vara Federal do Rio.

Segundo acusação do Ministério Público Federal, Marcos Valério teria repassado propinas ao procurador da Fazenda Glenio Sabbag Guedes – condenado na mesma ação a 22 anos de prisão. Também foram condenados dois ex-sócios de Valério, Rogério Lanza Toletino e José Roberto Moreira de Melo.

Marcos Valério já está condenado a 37 anos de prisão no processo do mensalão – escândalo que abalou o primeiro governo Lula.

Nesta ação penal que pegou 18 anos de prisão, o empresário – que está preso desde novembro de 2013 – é acusado de ter pago ao procurador um total de R$ 3,6 milhões, em valores atualizados, entre 2003 e 2005. Os pagamentos foram identificados na CPI dos Correios, que deu origem ao escândalo do mensalão.

Tolentino pegou 22 anos e sete meses de cadeia. Moreira de Melo, 14 anos e sete meses.

O juiz condenou o grupo ao regime fechado, mas permitiu a todos que recorram em liberdade.

Todos os condenados vão recorrer ao Tribunal Regional Federal da 2.ª Região. Eles negam a prática de ilícitos.

Compartilhe
Previous Alba lança nova marca e exalta unidade do presidente Coronel
Next Após protesto, idade para aposentadoria de policiais deve cair para 55

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Câmara marca votação do decreto sobre intervenção: será 19h de segunda

A Câmara dos Deputados já incluiu na pauta da sessão de segunda-feira (19/2) a apreciação do decreto presidencial que coloca a Segurança Pública do Rio de Janeiro sob intervenção federal.

Política

Após denúncia, Câmara projeta agenda para próximos meses

Após a rejeição nesta quarta-feira (25/10) da denúncia enviada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB) e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco

Política

Delcídio acertou caixa 2 na sauna, diz casal de marqueteiros

O marqueteiro João Santana e sua mulher, a empresária Mônica Moura, contaram em delação premiada que o senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS, ex-PT) exigiu que parte dos pagamentos pela