Paulo Mota vai apoiar Gilmar Santiago para presidente municipal do PT

Paulo Mota vai apoiar Gilmar Santiago para presidente municipal do PT

Na próxima segunda-feira(17), o candidato que disputou a presidência do Partidos dos Trabalhadores(PT), Paulo Mota, vai anunciar oficialmente seu apoio para Gilmar Santiago para presidente da sigla em Salvador.

Gilmar Santiago disputa com Dani Ferreira a presidência do partido na capital baiana.

Para Mota, apoiar Gilmar é defender a relação histórica. “nossos programas são parecidos, ele é orgânico, sem vacilação, faz oposição de verdade ao Carlismo, não se rende, nem se vende, votou junto com ele, pela expulsão dos vereadores Suíca e Moíses Rocha” disparou.

Ainda de acordo Mota, Gilmar é experiente na política e vai comandar uma gestão democrática, horizontalizada e mais equilibrada, dando poder as zonais partidárias, defendeu.

Confira o resultado final das eleições no primeiro turno

Direção Municipal PT Salvador

Executiva

Muda PT – 7 membros
CNB – 6 membros
Força – 1 membro

Diretório

Muda PT – 21 membros
CNB/EPS – 18 membros
Força – 3 membros
OT – 2 membros

COE municipal

Dani – 827
Gilmar – 921
Paulo – 187

 

Compartilhe
Previous Emilly é a vencedora da final do ‘BBB17’
Next "Não houve doação de caixa 2 para a nossa campanha", diz ACM Neto

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

José Carneiro Rocha é eleito presidente da Câmara de Feira de Santana

O vereador José Carneiro Rocha (PSDB) foi eleito presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana nesta segunda-feira (21). Ele obteve 17 votos favoráveis, além de 3 abstenções e uma

Política

Estamos dando sequência a um trabalho que já vinha sendo realizado, pontua Imbassahy

Em conversa com o Classe Política na tarde desta segunda-feira(20), no palácio Thomé de Souza, o Secretario de Governo, Antonio Imbassahy, falou das expectativas sobres reformas no governo Temer, prevista

Política

Cármen Lúcia abre contracheque de todos os ministros e servidores do Supremo

O portal do Supremo Tribunal Federal (STF) passou a detalhar os pagamentos de seus ministros e servidores. A medida atende à decisão da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF e