Poupança perde recursos em março, mas resultado é o melhor em três anos

Poupança perde recursos em março, mas resultado é o melhor em três anos

Os saques na poupança superaram os depósitos pelo terceiro mês seguido. Em março, a retirada líquida (descontados os depósitos) foi de R$ 4,996 bilhões, informou hoje (6) o Banco Central (BC). A perda de recursos foi a menor para o mês de março em três anos. No mesmo mês de 2015, a retirada líquida foi de R$ 11,44 bilhões e em março 2016, de R$ 5,38 bilhões.

Nos três primeiros meses de 2017, a caderneta de poupança registrou retiradas líquidas de R$ 17,4 bilhões, perda de recursos menor que os R$ 24,05 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

Desde o início da recessão econômica, em 2015, os investidores têm retirado dinheiro da caderneta para cobrir dívidas num cenário de queda da renda e de aumento de desemprego. Em 2015, R$ 53,5 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões.

Outro fator que contribuiu para os saques foi a perda de rentabilidade da caderneta em relação a outras aplicações. Nos 12 meses terminados em março, a poupança rendeu 8,27%, contra 13,88% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Compartilhe
Previous ACM Neto já está nos EUA para conferência em Havard
Next Clientes de telefonia, internet e TV a cabo pagaram R$ 64 bi em tributos em 2016

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Notícias

Inflação do país nos últimos 11 anos pesou mais no bolso do pobre, diz Ipea

No período entre julho de 2006 e setembro de 2017, a inflação foi mais pesada para a população de renda mais baixa. Dados analisados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Economia

Três em cada 10 consumidores fecharam março “no vermelho”, mostra pesquisa

Pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que, em março, três em cada dez consumidores afirmaram que fecharam

Economia

Governo e base aliada ainda discutem MP que cria novo Refis

Governo e lideranças da base governista ainda não chegaram a um acordo para a medida provisória (MP) que cria um novo Refis para parcelamento de dívidas tributárias, o Programa de