Presidente do Peru critica acordo com Odebrecht

Presidente do Peru critica acordo com Odebrecht

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, criticou o acordo entre procuradores do país e a Odebrecht, no qual a construtora terá de realizar um pagamento inicial de US$ 9 milhões e colaborar com informações em uma investigação de corrupção.

Para Kuczynski, o pagamento inicial teria de ser de pelo menos US$ 29 milhões, quantia que a Odebrecht teria pago em propinas no Peru, segundo o acordo que a empresa fez com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ), após a divulgação de documentos que detalham o pagamento de propinas pela Odebrecht em 11 países.

Os procuradores afirmaram que o valor do pagamento pode aumentar com o andamento das investigações. Kuczynski também reiterou que o Peru não irá assinar licitações de projetos públicos futuros com a Odebrecht e com qualquer companhia relacionada.

A Odebrecht informou, em nota sobre o acordo com o Peru, que “reitera seu compromisso de cooperação com as investigações realizadas no país”.

Compartilhe
Previous PP, PR e PSD se reúnem com Planalto na próxima semana para fechar apoio a Maia
Next Conquista: Bactéria causa morte de criança em hospital

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

Cid Gomes afirma que Lula recebeu ‘com tranquilidade’ ordem de Moro

O ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT) disse nesta quinta-feira, 5, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu “com tranquilidade” a ordem do juiz Sérgio Moro para se

Notícias

Mourão abre reunião ministerial sobre tragédia em Brumadinho

Com representantes de todos os ministérios, o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, abriu, pouco depois das 9h, a reunião sobre a tragédia ocorrida há quatro dias em Brumadinho,

Política

Segunda Turma do STF vai julgar no dia 26 pedido de Lula para suspender prisão

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar na próxima terça-feira, 26, um pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para suspender a prisão.

0 Comentários

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar essa notícia!

Deixe uma resposta