Custo unitário básico da construção civil fica estável em novembro

Custo unitário básico da construção civil fica estável em novembro

O Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil do Estado de São Paulo ficou em R$ 1.295,63 por metro quadrado em novembro, patamar estável frente a outubro, de acordo com pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 8, pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No ano a alta está em 5,58%.

Os custos da construção têm se mantido estáveis devido à fraca atividade da economia, de acordo com avaliação do presidente do Sinduscon-SP, José Romeu Ferraz Neto. “O custo da mão de obra se mantém estável, enquanto a maioria dos materiais registra estabilidade ou deflação, devido à baixa demanda. E no momento não se antevê mudança neste cenário para os próximos meses”, afirma.

Nas obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos também houve estabilidade no CUB na comparação com outubro, totalizando R$ 1.201,01 por metro quadrado. Em 12 meses, o indicador chegou a 5,53%.

O CUB é o índice oficial que reflete a variação dos custos mensais das construtoras para a utilização nos reajustes dos contratos de obras.

Compartilhe
Previous Governo desiste de nomear Imbassahy
Next Moro diz ser 'lamentável' ação de Lula contra a Polícia Federal

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Economia

Febraban estuda medidas para reduzir custo do cheque especial aos clientes

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) confirmou a iniciativa de autorregulação do cheque especial com objetivo de redução do custo dessa linha de crédito aos clientes. A ação foi anunciada

Economia

Pesquisa revela que Brasil tem 12,7 milhões de desempregados

A taxa de desemprego ficou em 12,2% no trimestre encerrado em janeiro, o que representa 12,7 milhões de pessoas desocupadas. O índice é estável na comparação com o trimestre anterior,

Economia

Dólar atinge maior valor em dois anos e chega a R$ 3,628

Mesmo após anunciar ajustes para ampliar a oferta de contratos de swap cambial, que equivale à venda de dólares no mercado futuro (uma forma de evitar a fuga de capitais

0 Comentários

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar essa notícia!

Deixe uma resposta