Senadores do PT adotam cautela ao falar de afastamento de Renan

Mesmo diante da possibilidade de o senador Jorge Viana (PT-AC) assumir o comando do Senado, petistas preferiram adotar o tom de cautela após o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello determinar o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência da Casa.

Após reunir a bancada, senadores do PT foram ao encontro de Renan na residência oficial. Para o líder da bancada no Senado, Humberto Costa (PT-PE), é preciso ter “paciência” porque a decisão do ministro é provisória e ainda precisa haver uma decisão definitiva sobre o assunto do plenário da Corte. “Somente depois vamos decidir o que fazer”, disse.

Costa, no entanto, afirmou que há uma crise institucional e que ela só será resolvida com a convocação de eleições diretas para a Presidência da República. “A nossa posição é pela saída desse governo (do presidente Michel Temer) e para a convocação de eleições diretas para a Presidência. Essa é a única maneira de termos legitimidade”, disse.

Jorge Viana desembarcou em Brasília nesta segunda e foi direto ao encontro de Renan. Depois da conversa com o peemedebista, ele foi ao Senado para participar da reunião do PT.

Ao falar com a imprensa, Viana evitou dizer o que vai fazer caso assuma em definitivo a presidência do Senado. O líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), por exemplo, defendeu que Viana não coloque em votação a PEC do Teto de Gastos. “Eu não posso ter ideia (do que fazer), eu não devo ter ideia. Essa é uma situação, uma crise institucional gravíssima que o País está vivendo, e eu particularmente tenho que esperar o comunicado oficial”, disse.

Compartilhe
Previous Decisão de Marco Aurélio Mello causa surpresa e preocupação no Planalto
Next Após afastamento de Renan, petista assume presidência do Senado

Sobre o Autor

Você pode gostar também

Política

PP reivindica comando do Ministério das Cidades

Dono da quarta maior bancada da Câmara, com 45 deputados, o PP reivindica o Ministério das Cidades e quer indicar para o posto o atual presidente da Caixa Econômica Federal

Notícias

Distritão aprovado pelos deputados facilita acordos escusos

Alvejado por escândalos de financiamento de campanha, hiperindividualismo, clientelismo, o Japão abandonou, na década de 1990, o sistema eleitoral denominado voto único não transferível, este mesmo que no Brasil recebeu

Notícias

Celso de Mello tem até hoje para julgar pedido de soltura de Lula

Termina hoje (10), às 23h59, o prazo para que o recurso que pede a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja julgado pela Segunda Turma do Supremo Tribunal

0 Comentários

Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a comentar essa notícia!

Deixe uma resposta